Editorial Serviço TIC's

Spotify abre capital nesta terça nos EUA com oferta direta de ações

Daniel Ek, fundador e presidente executivo do Spotify

Heterodoxo, método usado por serviço de streaming de música põe papéis à venda sem ‘ritual de apresentação’ com bancos de investimento

O Spotify, mais bem-sucedido serviço de streaming de músicas da internet, registrou seu pedido para entrar na New York Stock Exchange, a bolsa de valores de Nova Iorque, tornando-se assim uma empresa de capital aberto. Para sua oferta pública inicial (Initial Public Offering, ou IPO), a companhia será avaliada no valor de US$ 1 bilhão e terá suas ações comercializadas sob a sigla SPOT.

Contudo, diferente do que geralmente acontece, o evento de abertura (conhecido como listagem direta) será constituído de acionistas pré-existentes vendendo papéis para investidores públicos. Tudo o que sabemos é que o preço privado das ações do Spotify costuma variar entre US$ 90 e US$ 130.

Em uma apresentação ao investidores transmitida ao vivo em março, o cofundador e presidente do grupo, Daniel Ek, destacou que a abertura de capital é apenas um passo, não um fim em si mesma. “Não vão ver a gente tocar o sino”, uma tradição em que representantes de uma empresa simbolicamente abrem a sessão do dia, “nem fazer uma festa”, disse o líder.

O pedido de registro também revela alguns resultados financeiros interessantes da empresa. No último ano, o Spotify registrou uma receita de 4,09 bilhões de euros — para fins comparativos, em 2016, a companhia havia lucrado “só” 2,95 bilhões. Atualmente, a plataforma está presente em 61 países e possui 159 milhões de usuários ativos por mês, além de 71 milhões de assinantes pagos.

Em 2016, a empresa garantiu ainda que obteve 42% das receitas do mercado mundial de transmissão online de música naquela temporada.

O Spotify contratou os bancos Goldman Sachs, Morgan Stanley e Allen & Company para atuar como supervisores financeiros, mas eles não terão o papel de determinar o valor das ações da empresa. “É uma tática que faz o Spotify economizar dinheiro, mas pode levar à volatilidade quando as ações forem negociadas, até que o mercado ache um preço confortável”, disse Laith Khalaf, analista da consultoria Hargreaves Lansdown, em nota.

Caso a empresa seja bem sucedida, analistas afirmam que seu caminho pode ser seguido por outras startups do momento, como os aplicativos de carona paga Uber e Lyft.

Ainda há dúvidas se o Spotify é capaz de concorrer com as gigantes Amazon e Apple. Investidores poderão fazer suas apostas nesta terça-feira. Como trunfo, a companhia sueca tem bons números operacionais: desde 2014, o faturamento da companhia cresce mais rápido que os custos necessários para pagar direitos autorais.

A margem bruta da empresa era de 16% em 2014 e, segundo suas previsões, deve bater 25% este ano. A dúvida é se um balanço em ordem é o suficiente neste momento de alta octanagem na bolsa americana.

Fonte: Exame, Estadão e Canal Tech

Sobre o autor

Wagner Marcelo

Atuo profissionalmente como arquiteto de inovação, gerando e fomentando ecossistemas empreendedores e tecnológicos, hoje somados são mais de 400 mil pessoas ligadas a nossa rede.
Tenho como missão o desenvolvimento de negócios disruptivos.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.