Editorial Indústria

Compra da Piraquê pela M. Dias Branco faz nova família bilionária

O anúncio da compra da Indústria de Produtos Alimentícios Piraquê pelo grupo M. Dias Branco ontem (29) deverá configurar uma nova família bilionária no Brasil.

A gigante cearense vai pagar R$ 1,55 bilhão pela Piraquê, pertencente à família Colombo.

Celso Colombo, que fundou a Piraquê em 1950, morreu em 2012, deixando a empresa para os quatro filhos e seus herdeiros: Celso Colombo Filho, Sérgio Ometto Colombo, Eduardo Ometto Colombo e Osvaldo Ometto Colombo. Os três primeiros já atuavam na diretoria executiva da empresa, auxiliados por netos do fundador, como Alexandre Colombo (marketing).

Líder no mercado do Rio de Janeiro, a Piraquê vinha sendo intensamente assediada por grandes grupos nos últimos anos – sobretudo depois da morte de seu fundador, em 2012.

Esta não é a primeira vez que uma empresa da família é alvo de compra: em 1967, o italiano Romeo Colombo – pai do fundador Celso Colombo e avô dos atuais diretores -, vendeu a famosa indústria de biscoitos São Luiz, da qual era um dos sócios fundadores, para o grupo suíço Nestlé.

A família controladora da Piraquê é a dona ainda de uma corretora de seguros, de mesmo nome.

Fonte: Forbes

Sobre o autor

Wagner Marcelo

Atuo profissionalmente como arquiteto de inovação, gerando e fomentando ecossistemas empreendedores e tecnológicos, hoje somados são mais de 400 mil pessoas ligadas a nossa rede.
Tenho como missão o desenvolvimento de negócios disruptivos.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.