Editorial TIC's

IBM adquire Red Hat por cerca de US$ 34 bilhões

Com compra, Big Blue vai fornecer abordagem aberta de nuvem com segurança e quer tornar-se número 1 do mercado de cloud híbridas

A IBM e a Red Hat, empresa de software em nuvem de código aberto, anunciaram que as empresas chegaram a um acordo definitivo segundo o qual a IBM adquirirá todas as ações ordinárias emitidas e em circulação da Red Hat por US$ 190 por ação em dinheiro, representando um valor total de aproximadamente US$ 34 bilhões.

“A aquisição da Red Hat é uma mudança de jogo. Ela muda tudo sobre o mercado de nuvem”, disse em comunicado Ginni Rometty, presidente e CEO da IBM. “A IBM se tornará a fornecedora de nuvem híbrida número 1 do mundo, oferecendo às empresas a única solução de nuvem aberta que irá liberar todo o valor da nuvem para seus negócios”, completou.

De acordo com ela, a maioria das empresas tem apenas 20% da sua jornada de cloud concluídaa. “Os próximos 80% são sobre desvendar o valor comercial real e impulsionar o crescimento. Este é o próximo capítulo da nuvem. Isso requer a transferência de aplicativos de negócios para a nuvem híbrida, extraindo mais dados e otimizando todas as partes do negócio, das cadeias de suprimentos às vendas.”

Segundo Jim Whitehurst, presidente e CEO da Red Hat, o código aberto é a escolha padrão para as modernas soluções de TI. “Unir forças com a IBM nos proporcionará um nível maior de escala, recursos e capacidades para acelerar o impacto do código aberto como base para a transformação digital e levar a Red Hat a um público ainda maior – preservando nossa cultura e compromisso inabalável para a inovação de código aberto”, acrescentou.

Acelerando nuvens híbridas

Ainda segundo comunicado emitido pelas empresas, juntas, IBM e Red Hat estarão bem posicionadas para acelerar a adoção híbrida de várias nuvens. A ideia é que as empresas possam ajudar clientes a criar aplicativos de negócios nativos da nuvem mais rapidamente, proporcionando maior portabilidade e segurança de dados e aplicativos em várias nuvens públicas e privadas, tudo com gerenciamento de nuvem consistente.

“Ao fazer isso, eles aproveitarão sua liderança compartilhada em tecnologias essenciais, como Linux, containers, Kubernetes, gerenciamento de várias nuvens e gerenciamento e automação de nuvem”, informam.

Parceiras de longa data

A parceria da IBM e da Red Hat durou 20 anos, com a IBM atuando como um dos primeiros apoiadores do Linux, colaborando com a Red Hat para ajudar a desenvolver e desenvolver o Linux de nível corporativo e, mais recentemente, levando soluções corporativas Kubernetes e híbridas para clientes.

Essas inovações se tornaram tecnologias essenciais no negócio de nuvem híbrida de US$ 19 bilhões da IBM. Entre eles, a IBM e a Red Hat contribuíram mais para a comunidade de código aberto do que qualquer outra organização.
“O anúncio de hoje é a evolução da nossa parceria de longa data”, disse Ginni. “Isso inclui nosso anúncio conjunto da colaboração Hybrid Cloud em maio, um precursor fundamental em nossa jornada até hoje.”

Futuro

Com aquisição, a IBM informa que continuará comprometida com a governança aberta, as contribuições de código aberto, a participação na comunidade de código aberto e o modelo de desenvolvimento da Red Hat, além de promover seu ecossistema de desenvolvedores.

Além disso, a IBM e a Red Hat continuarão comprometidas com a contínua liberdade do código aberto, por meio de esforços como o Patent Promise, o GPL Cooperation Commitment, a Open Invention Network e a LOT Network.

A IBM e a Red Hat também continuarão a construir e aprimorar as parcerias da Red Hat, incluindo aquelas com grandes provedores de nuvem, como Amazon Web Services, Microsoft Azure, Google Cloud e Alibaba, além do IBM Cloud. Ao mesmo tempo, a Red Hat se beneficiará da nuvem híbrida e da TI empresarial da IBM.

As empresas não informaram como serão estruturados os times e os escritórios daqui para frente. A IBM afirmou, no entanto, que a aquisição da Red Hat reforça o modelo de alto valor da IBM. “Isso acelerará o crescimento de receita, margem bruta e fluxo de caixa livre da IBM em 12 meses após o fechamento. Também apoiará um dividendo sólido e crescente”, adiantou.

Além disso, a companhia informou que continuará com uma política financeira disciplinada e está comprometida em manter fortes classificações de crédito com grau de investimento. A empresa terá como meta um perfil de alavancagem consistente com um rating de crédito A médio a alto. A organização pretende suspender seu programa de recompra de ações em 2020 e 2021.

Na assinatura, a empresa possui amplas linhas de caixa, crédito e pontes para garantir o financiamento da transação. A empresa pretende fechar a transação por meio de uma combinação de caixa e dívida.

A aquisição foi aprovada pelos conselhos de administração da IBM e da Red Hat. Está sujeito à aprovação dos acionistas da Red Hat. Também está sujeito a aprovações regulamentares e outras condições habituais de fechamento. Espera-se que feche no segundo semestre de 2019.

Fonte: Computer World

Sobre o autor

Wagner Marcelo

Atuo profissionalmente como arquiteto de inovação, gerando e fomentando ecossistemas empreendedores e tecnológicos, hoje somados são mais de 400 mil pessoas ligadas a nossa rede.
Tenho como missão o desenvolvimento de negócios disruptivos.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.