Cultura empreendedora Editorial Serviço

[Empreender com Saúde] Aprenda a tirar melhor proveito do sono e acelere seu organismo

Dormir é vital para o ser humano. Durante a noite, quando dormimos, os tecidos do corpo são reparados, os órgãos descansam e alguns finalizam ciclos para eliminar toxinas. E é dormindo que o cérebro filtra e processa acontecimentos do dia que terminou, sedimentando a memória.

De acordo com a Naturopata Fernanda Ornelas do Expandir Centro de Bem-Viver, uma noite mal dormida tem efeito similar a uma leve embriaguez. “A coordenação motora e a capacidade de raciocínio são prejudicadas, reduz-se a capacidade de funcionamento dos neurônios, causando lapsos cognitivos”.

Para dar base à sua tese, Fernanda cita estudos recentes do médico-pesquisador israelense Itzhak Fried, que afirma: ter noites ruins de sono podem, inclusive, alterar suas percepções da vida!

“Dormir mal prejudica a forma como percebemos e reagimos ao que acontece ao nosso redor”, escreveu Fried em artigo publicado pela Universidade da Califórnia na renomada revista Nature.

Outras disfunções

As disfunções do sono não se resumem a insônia, mas também ao excesso de sono, tal como é a Narcolepsia, a Apneia, o Sonambulismo, o Bruxismo, o PLM (Movimento Periódico das Pernas), entre tantas outras disfunções, ocorridas por não descansar o organismo. De acordo dados analisados pelo Instituto do Sono, em São Paulo, a insônia pode indicar um sinal de transtorno depressivo.

“No sono profundo ocorre a “limpeza do cérebro”, incluindo a eliminação de uma proteína conhecida como beta-amiloide, associada muitas vezes ao Alzheimer. Sem quantidade suficiente de sono, esta atividade falha eleva os riscos de desenvolver a doença, com o passar o tempo”, afirma Fernanda, que mudou seu estilo de trabalho e vida para viver uma vida mais saudável e menos prejudicial à saúde. Hoje, ela ensina profissionais e pessoas, em geral, a como ter uma vida com saúde e que valha a pena.

Como funciona o organismo?

O processo do sono, assim como todo nosso corpo, é programado por um relógio biológico que tem ciclo de 24 horas. Há mais de 5.000 anos a medicina ancestral indiana Ayurveda e também a medicina tradicional chinesa já entendiam que o corpo humano segue ritmo de 24 horas, e que começa todas as manhãs quando percebemos a luz do dia. Ao longo do dia, o corpo se organiza e se movimenta de diversas formas, respeitando o ritmo biológico.

Os órgãos tem horários para funcionar

De acordo com este relógio (biológico e cósmico) existe um ritmo também chamado de “Ritmo Circadiano”, que indica quando devemos comer, o horário de maior produtividade, qual o melhor momento do dia para nos exercitar e como regular o organismo: pressão arterial, metabolismo, produção de hormônios, a troca de células, entre outras ações.

Mente sadia, corpo sadio

Por volta das 21h, todos os dias, o cérebro começa a liberar melatonina – hormônio pela glândula pineal, importante aviso ao organismo para que comece o preparo à noite de sono.

“E, também, é responsável pela velocidade de digestão reduzida”, complementa a especialista do Centro Expandir. “O que significa que, neste período da noite, alimentar-se provocará sono irregular, já que os órgãos que deveriam entrar em processo de descanso ou limpeza, após término do dia, irão manter-se funcionando até mesmo em sobrecarga”.

Refeições após 22h?

A digestão é lenta quando se ingeridos alimentos, a partir deste horário, e todo o sistema digestório irá precisar de mais energia para digerir o que comeu, fora do ciclo do organismo.

“Automaticamente o corpo busca energia de outras formas e o sono já estará prejudicado – o que irá gerar para corpo trabalho forçado extra e com consequências no dia seguinte: sonolência, compulsão alimentar, ganho de peso, letargia, mau humor, raciocínio lento, memória fraca e muitos outros atrasos e problemas à mente e ao corpo”, indica Fernanda.

Foto: Fernanda Ornelas/Divulgação

A atividade física melhora o sono, mas noites mal dormidas diminuem a vontade de se exercitar. Por isso, é preciso que este ciclo vicioso seja interrompido e mude hábitos arraigados por anos. É um desafio possível, com pequenas e gradativas mudanças diárias.

Fernanda faz um alerta sobre um grande engano a ser corrigido: não existe compensação de sono! “Ou seja, descontar a falta de sono durante a semana, dormindo horas a fio no final de semana, não irá alterar os prejuízos já somados por não dormir com qualidade”, afirma.

Satisfação da vida, sono e controle químico

É preciso investigar as causas geradoras na vida desta pessoa no que diz respeito ao seu nível de satisfação com a vida, estresse, preocupações, medos, prazer em viver. O despertar, pela manhã, já é um indício de como será o dia (e, possivelmente, de como terminará).

Fernanda iniciou os estudos na área de Naturopatia e Praticas Integrativas há 29 anos. Atualmente, acompanha a saúde de pessoas que fazem escolhas, algumas vezes, não muito saudáveis e as auxilia nos processos de mudança de comportamento e na saúde. Da forma como respira, passando pela alimentação diária aos cuidados com as emoções e atingir equilíbrio para uma vida mais leve e saudável em todas as áreas, incluindo a profissional.

“Escolhas feitas ao longo do dia contribuirão ou não para o bom sono: beber água em quantidade adequada, e não somente quando o corpo sentir sede. Praticar exercícios físicos respeitando o ritmo e o relógio biológico. Fazer refeições nutritivas com comida real, substituindo as industrializadas, nos horários mais favoráveis e de acordo com suas necessidades”, orienta para maior qualidade no descansar da mente e corpo.

Energias: ferramentas de auxílio para um bom sono

Dificuldade para dormir, sono interrompido por ansiedades, preocupações e medos podem ter inúmeras questões emocionais enrustidas, além de outras desordens físicas desencadeadas pelo desarranjo energético do corpo.

“Recomendo a Terapia Floral, uma excelente ferramenta de autoconhecimento que auxilia quem tem dificuldades para “relaxar” de forma natural. Sem contraindicações, os florais ajudam a equilibrar as emoções, porque são essências vibracionais de flores, que vão agir na origem da causa”, indica Fernanda.

Para a pessoa que sente medo, existem essências florais que irão ativar a coragem para enfrentar as situações temidas. O importante é buscar formas de melhorar a qualidade do sono. Os florais são apenas uma das muitas ferramentas disponíveis para se conhecer e experimentar nas Terapias Integrativas Complementares.

Olfato, cérebro e a busca por tranquilidade

A ansiedade hoje também é uma pandemia mundial, porém, é preciso encontrar as causas, tais como: medos, culpas, preocupações, pensamentos repetitivos. Ao tratar as causas, eliminam-se os sintomas.

“Outra ferramenta que indico são os óleos essenciais pela Aromaterapia, muito eficazes para ajudar no relaxamento físico e psíquico. Os cheiros, desde a antiguidade, foram um referencial de orientação do ser humano. Tendo poderosa influência na nossa natureza emocional, agem no nosso subconsciente e o comando é enviado de forma direta para o cérebro, por meio dos nervos olfativos. Algumas categorias de óleos essenciais podem ser mais eficazes que outras”.

Ainda como recomendação, Fernanda indica o óleo essencial de Lavanda (Lavandula Angustiffolia), muito eficaz para ser usado em situações de estresse, dores de cabeça; para tranquilizar e acalmar as emoções e atua, inclusive, no combate a gripes e resfriados.

“Importante frisar que o uso de óleos essências NÃO dispensam cuidados médicos e NÃO substituem tratamentos medicamentosos convencionais. São complementares e ou preventivos. É sempre indicado consultar profissional antes do uso e também a análise do estado geral e contexto de cada um é o mais eficiente para se ter sucesso.”

Como utilizar óleos essenciais? O ideal é inalar de duas a três gotas do óleo de lavanda em um pedaço de algodão – ou pode aplicar diretamente na pele. Por ter propriedades ansiolíticas, indicado utilização à noite, antes de dormir, pois há potencial para promover tranquilidade e melhorar o sono.

Se concentre em seu sono!

As técnicas de meditação também são muito eficazes, se praticadas de forma constante, permitem conduzir a mente para um estado de calma e relaxamento. São métodos que envolvem postura, foco e que traz paz interior, reduz estresse, ansiedade e insônia.

“Respirar profundamente, várias vezes ao dia, já um ótimo início. O corpo precisa de oxigênio, o cérebro tem suas funções maximizadas com mais oxigênio. Meditar é simples, barato e você pode começar agora”, Fernanda orienta o público.

“Sugiro, ainda, que acrescente na rotina infusões de ervas, como Melissa (Melissa Officinalis), folha de Maracujá (Passiflora Edulis), Camomila (Matricaria Camomilla) e outras, que irão promover bem-estar e tranquilidade para ajudar em um bom sono e descanso. O consumo – a partir do final da tarde – ajudará a relaxar. Tinturas destas ervas também são muito eficazes, mas é necessária a indicação profissional.”

Por fim, começar 2021 com o equilíbrio dos pensamentos, a escuta e atenção aos sinais do corpo podem transformar vidas e suas carreiras, inclusive. É preciso observar e ouvir mais o corpo e as emoções nele contidas. Aristóteles já dizia: “Conhecer a sim mesmo é o começo de toda a sabedoria”. E você, sabe reconhecer o que sua mente, corpo e qualidade de sono estão lhe dizendo?

* Colaborou com o conteúdo Fernanda Ornelas do Expandir Centro de Bem-Viver

Sobre o autor

Thiago Ermano

Jornalista, Networker e Consultor de Reputação da agência Comunicar Bem. Tem passagens pela Rede Globo, Rede Record, TV Cultura, Folha de S. Paulo, Editora Abril, Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV-SP) e FIESP. É empreendedor serial e colabora para o desenvolvimento do ecossistema de startups no Brasil. www.comunicarbem.com.br

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.