Editorial TIC's

Microsoft confirma interesse em adquirir o TikTok

Após vários rumores sobre um possível interesse na aquisição do aplicativo Tik Tok, que é considerado um fenômeno global principalmente entre a população mais jovem, a empresa Microsoft resolveu confirmar o seu real interesse no aplicativo. Essa divulgação veio através da agência de notícias, Reuters.

Essa declaração da Microsoft veio em uma semana bem conturbada, em que o aplicativo de origem chinesa, Tik Tok, passou a sofrer uma forte pressão por parte das autoridades norte americanas, recebendo ameaças diretamente da Casa Branca da possibilidade de haver seu banimento no país, sob o argumento de representar um risco à população, uma vez que dispõe de seus dados pessoais e poder manipulá-los, além da desconfiança de espionagem do governo chinês.

No último domingo, a Microsoft confirmou tanto estar em negociações com a empresa chinesa, quanto que o seu CEO, Satya Nadella, já conversou com Donald Trump sobre seu interesse em oficializar a aquisição do aplicativo.

Essa transação tem data prevista para ser formalizada que será até o dia 15 de Setembro.

A princípio tratava-se apenas de uma proposta regional, visando o domínio do aplicativo nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia, porém, segundo o jornal britânico, Financial Times, houve uma alteração nesse acordo e agora a empresa Microsoft passa a querer o domínio das operações do Tik Tok em todo o mundo.

Apesar do interesse pela compra do aplicativo, a Microsoft não deixa de compartilhar da mesma desconfiança que Trump em relação à empresa chinesa, sendo assim, por motivos de segurança, a companhia se compromete a fazer uma revisão completa no aplicativo.

“A Microsoft garantirá que todos os dados privados dos usuários americanos permaneçam nos EUA. Dados que estejam armazenados fora do país serão excluídos dos servidores após a transferência”, informou a empresa.

Sendo concretizado o acordo, a Microsoft passará a competir com o Facebook e também com o Snapchat no nicho de aplicativos de vídeos curtos.

Ao mesmo tempo em que a empresa chinesa respira por se predispor ao acordo com os norte americanos, a mesma vem sendo alvo de muitas críticas em seu próprio país de origem. Em uma rede social chinesa chamada Weibo, que é muito semelhante ao Twitter, o CEO da Byte Dance, Zhang Yiming, foi duramente hostilizado por ser muito flexível e ceder às demandas dos EUA. O CEO da empresa recebeu adjetivos de traidor, covarde, entre outros, além de uma frase que impactou e acabou sendo considerada a mais “popular” entre os usuários da rede:  “Ajoelhou-se tão rápido que nem esperou o governo chinês retalhar”.

A críticas foram também acerca de quão vantajosa seria para a empresa essa venda. Atualmente o Tik Tok tem cerca de 100 milhões de usuários só nos EUA.

Claro que com toda essa repercussão, Donald Trump não ficou de fora e já pronunciou seu interesse na fatia dessa potencial venda, uma vez que se intitula merecedor por “ter tornado o negócio possível”, disse em entrevista na segunda-feira, dia 3, a algumas repórteres na Casa Branca, o presidente norte americano, onde também confirmou a sua conversa com o CEO da Microsoft, Satya Nadella, no domingo, dia 2.

Fontes: Canaltech, Windows Club, Olhar Digital, Exame, Yahoo, Tecnoblog, TIinside

Sobre o autor

Hilda Campanholi

Graduada em Publicidade e Propaganda, gosta de criar conteúdos relevantes que gerem valor na vida das pessoas.
Estuda e pesquisa assiduamente marketing digital, empreendedorismo e negócios em geral.
Busca compreender os diversos nichos de mercado para poder falar e escrever com propriedade.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.