Editorial TIC's

Udacity encerra cursos em português e demite metade dos funcionários no Brasil

A Udacity, plataforma de cursos à distância sobre assuntos como inteligência artificial e veículos autônomos, informou quinta-feira (29), que vai encerrar os cursos em português no dia 31 de dezembro. Em nota, a empresa afirmou também que demitiu 33 funcionários, quase metade do quadro no Brasil, devido a uma reestruturação interna. Restaram 34 funcionários no escritório no País.

Quanto ao escritório em São Paulo, a empresa afirmou que ele continuará atendendo os 10 mil alunos brasileiros que usam a plataforma, pelo menos até o ano que vem. “Nada muda para os estudantes”, disse Carlos Souza, diretor-geral da Udacity no Brasil, em nota. Os alunos que já estão cadastrados em cursos em português continuarão a ter aula no idioma até o fim do curso. Não há informações sobre a continuidade do escritório em São Paulo depois que terminarem os cursos em português em andamento.

A empresa, que é conhecida como Universidade do Vale do Silício, tem parceria com grandes empresas de tecnologia como Google, Amazon e Facebook, para criar cursos que o mercado precisa.

Nos últimos meses, a Udacity demonstrava otimismo com a sua atuação no Brasil, que começou em 2016. O País é o segundo maior mercado da empresa em número de alunos, perdendo apenas para os Estados Unidos. De acordo com a Udacity, um a cada cinco alunos da plataforma são brasileiros – hoje, segundo empresa, há 10 milhões de alunos registrados em cem países.

As demissões no Brasil fazem parte de um esforço de reorganização global da Udacity, afirmou o site VentureBeat quarta-feira (28). A partir de agora até o começo de 2019, a empresa demitirá 125 funcionários do mundo todo, informou a reportagem. Depois dos cortes, apenas 330 pessoas continuarão trabalhando na empresa.

O site TechCrunch obteve um comunicado do co-fundador Sebastian Thrun, com explicações sobre a reestruturação e as demissões. “Para que que possamos dar o próximo passo e aproveitar ao máximo a oportunidade que temos pela frente, precisamos restabelecer nosso foco”, disse o executivo, pontuando que as demissões foram necessárias para atingir esse objetivo.

“Aumentaremos nossos investimentos em áreas de crescimento, como empreendimento e desenvolvimento de carreira. Estou otimista de que agora a Udacity está pronta para chegar a um próximo nível, em que mais estudantes podem aprender o que precisam para conseguir os empregos que desejam para melhorar suas vidas”, afirmou Thrun.

A Udacity é um unicórnio, nome dado a empresas avaliadas em mais de US$ 1 bilhão. Em fevereiro deste ano, a empresa afirmou que mais que dobrou sua receita em 2017 – foram US$ 70 milhões no ano passado, em comparação a US$ 29 milhões em 2016.

Sobre o autor

Wagner Marcelo

Atuo profissionalmente como arquiteto de inovação, gerando e fomentando ecossistemas empreendedores e tecnológicos, hoje somados são mais de 400 mil pessoas ligadas a nossa rede.
Tenho como missão o desenvolvimento de negócios disruptivos.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.