Cultura empreendedora

Sem currículos e com salário de R$ 7 mil: Natura recruta empreendedores

natura cultura empreendedora

Empresa de beleza e cosméticos se uniu à aceleradora ACE para recrutar inovadores que mostrem novos caminhos ao negócio

São Paulo – Não é preciso ser jovem, nem ter cumprido o ensino superior e muito menos mandar o currículo. Em troca, um salário de sete mil reais e todos os benefícios possíveis. Esse programa de trainee com requisitos às avessas é o novo processo seletivo da Natura, que procura empreendedores para compor sua nova equipe de inovação. O objetivo? Apontar caminhos de crescimento nunca antes pensados – o que pode incluir criar negócios totalmente distintos da mãe que os abrigou.

O programa, chamado corageN, tem como única exigência os candidatos serem maiores de idade. Os 20 selecionados terão um contrato de 20 meses com a empresa de beleza e cosméticos e serão divididos em quatro grupos com cinco integrantes cada para tocar projetos desvinculados à equipe de pesquisa e desenvolvimento já existente.

Além de membros de P&D, a Natura também possui o processo tradicional de trainee, que costuma privilegiar pessoas recém-formadas, com currículos cheios de referências acadêmicas e profissionais e que buscam uma carreira corporativa. Mesmo com toda essa estrutura, priorizou ter maiores alternativas de classe social, formação, gênero e idade na hora de formar uma equipe que apontasse novos caminhos.

“Foi uma resposta à demanda de criar caminhos transformadores de maneira ágil, em um mundo cada vez mais competitivo diante do surgimento das startups, mas mantendo o centro do nosso negócio completamente operativo”, afirma Flavio Persiguelo, vice-presidente de pessoas e cultura da Natura.

O programa é feito em parceria com a ACE, aceleradora que já trabalhou em programas de inovação corporativa com empresas como BTG Pactual, Braskem e GOL.

Etapas de seleção

As inscrições devem ser feitas até o dia 30 de setembro. A primeira etapa de seleção é um teste online para avaliar a proximidade do candidato com a cultura da Natura e com a cultura empreendedora. Alguns valores, explica Persiguelo, são a vontade gerar impacto na sociedade, a sustentabilidade e a paixão pela cosmética e pelas pessoas. Para a avaliação, a ACE criou algoritmos a partir de seus principais empreendedores acelerados.

Depois dos testes online, 125 selecionados farão dinâmicas presenciais entre 15 e 23 de outubro, em Belém (PA) ou São Paulo (SP). Nesse bootcamp de um dia, os empreendedores terão de criar uma startup do zero: terão palestras de manhã; validarão ideias na rua; pensarão no projeto de tarde; e farão seu pitch no final do dia, para uma banca composta por um executivo da Natura, um criador de startup e um representante da ACE.

Entre 25 e 29 de outubro, será a vez das entrevistas individuais. A divulgação dos 20 selecionados será em 31 de outubro. O programa começa no dia.

Os primeiros três meses de programa serão dedicados à imersão dos empreendedores na cultura da Natura. Depois, eles são divididos entre quatro grupos para executar projetos. Todos receberão mentorias internas (de funcionários da Natura) e externas (de especialistas do mercado e da aceleradora ACE, que possui cerca de 200 mentores associados) e workshops sobre gestão e marketing, por exemplo.

Ao final dos 20 meses, os empreendedores terão três caminhos: seguir na Natura liderando projetos internos, como executivo; criar a própria empresa a partir do projeto e se tornar um fornecedor ou parceiro da Natura; ou, por fim, seguir a própria vida e se dedicar a iniciativas descoladas do programa.

Imersão na Natura, trazendo esse olhar empreendedor de fora, procurando problemas e oportunidades. Imersão com métodos de startups, que nós faremos, como divisão por squads. Janeiro, começam de fato a trabalhar em equipe em projetos e soluções. Pode virar uma nova empresa, uma nova área ou nada. O selecionado pode virar um empreendedor/sócio, funcionário ou segue sua vida.

O salário é de 7 mil reais brutos por empreendedor e a jornada de trabalho é flexível. O pacote de benefícios prevê benefícios como assistência médica e odontológica, restaurante e estacionamento no local, transporte fretado/vale transporte, berçário, auxílio creche, espaço de bem-estar, convênio farmácia, seguro de vida e assistência funeral. Veja mais detalhes do corageN pelo site da iniciativa.

Criação do corageN

A Natura já possui uma área de pesquisa e desenvolvimento, que trabalha em melhorias incrementais para a companhia. Persiguelo conta que o corageN foi elaborado há três meses como uma forma de repensar os processos de inovações maiores dentro da Natura, que poderiam gerar alternativas de crescimento para a empresa e até novos empreendimentos.

Mas, ao mesmo tempo, é preciso manter o que dá dinheiro à empresa de beleza e cosméticos funcionando. “Se a gente não criasse uma estrutura completamente separada, ficaria difícil”, afirma o vice-presidente.

De acordo com o estudo “Corporate Venture: Desafios e Oportunidades no Brasil”, lançado ontem (16) pela Endeavor Brasil, apenas 9% das grandes empresas colaboram com as startups por meio de venture builders (estruturas para desenvolvimento de novos negócios). A maioria o faz por meio aceleração ou incubação (46%), uma iniciativa que a Natura também possui.

Nos três meses de elaboração do programa, foram reuniões quase diárias para definir como seria o CorageN, afirma Luis Gustavo Lima, Chief Startup Officer da ACE. “Empresas gigantes como Apple e Google não exigem mais faculdade. Nesse sentido, a Natura se coloca realmente como uma empresa vanguardista por aqui.”

O site de empregos Glassdoor listou 15 companhias lá fora que já não barram candidatos que não possuem diploma de ensino superior. A decisão reflete a opção de muitos americanos por desistirem da universidade, diante de mensalidades proibitivas e a ascensão de cursos mais curtos, com práticas voltadas ao mercado (como programação e línguas aprendidas de forma quase autodidata).

Se a decisão irá funcionar para a Natura, só saberemos daqui 20 meses.

Fonte: Exame.

Sobre o autor

Lenah Sakai

Empreendedora de eventos de tecnologia e negócios inovadores, formada em administração de empresas, ajuda a fortalecer o ecossistema empreendedor desde 2013 co-organizando mais de 90 Encontros de Jovens Empreendedores e fomentando o Made in Sampa de forma voluntária. É fundadora do Green Business Post, canal de conteúdo sobre desenvolvimento sustentável.

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.